jusbrasil.com.br
14 de Outubro de 2019

O Etnocentrismo e seus reflexos na intolerância atual

Thalia Sarto de Oliveira, Estudante de Direito
ano passado

RESUMO

Com o presente artigo, que diz a respeito do etnocentrismo e seus reflexos na intolerância atual, quero abordar o quanto é um tema importante e o quão presente está em cada dia de cada individuo de maneira consciente e inconsciente, como exemplo, o ditador Adolf Hitler, que no meu ponto de vista, foi um grande etnocentrista e intolerante, pois acreditava que a única raça que tinha dignidade era sua, a ariana. Os judeus eram apenas uma raça inferior, não considerada digna. Com sua maneira de pensar, Hitler matou bilhões de judeus. Com este exemplo fica muito mais fácil de vislumbrar o tema.

Busco salientar também que o etnocentrismo é uma deficiência social na qual os membros sociais não respeitam a maneira de ser como um todo do próximo, impondo a sua forma de ser como a superior, a certa, a única. Isso faz com que a "vitima" se sinta reprimida e incapaz.

O tema aludido é sociológico, sendo desenvolvido pela antropologia, que é uma ciência na qual estuda o homem como um todo, incluindo comportamentos, hábitos, culturas, alimentação, desenvolvimento ao longo da história etc.

PALAVRAS-CHAVE: Etnocentrismo. Intolerância. Problema social. Mudanças.

ETHNOCENTRISM AND ITS REFLECTIONS IN CURRENT INTOLERANCE

ABSTRACT

With this article, which says about ethnocentrism and its reflections on current intolerance, I want to address how important an issue is and how present each day in each individual consciously and unconsciously, such as the dictator Adolf Hitler , who in my point of view was a great ethnocentric and intolerant because he believed that the only race that had dignity was his, the Aryan. The Jews were only an inferior race, not considered worthy. With his way of thinking, Hitler killed billions of Jews. With this example it is much easier to see the theme.

I also want to point out that ethnocentrism is a social deficiency in which social members do not respect the way of being as a whole of their neighbor, imposing their way of being as superior, right, unique. this makes the "victim" feel suppressed and incapable.

The theme is sociological, being developed by anthropology, which is a science in which man studies as a whole, including behaviors, habits, cultures, food, development throughout history, etc.

KEYWORDS: Ethnocentrism. Intolerance. Social issue. Changes.

INTRODUÇÃO

Ao aludir este tema, notei o quanto ele é atual e concomitantemente presente desde os tempos primórdios, além de ser um assunto extremamente amplo e pouco abordado. Antes de iniciar este presente artigo, tecer-se-á uma breve definição jurídico-sociológica sobre Etnocentrismo e Intolerância será apresentada.

Este tema sociológico, o Etnocentrismo, foi elaborado pela antropologia, que significa uma ciência na qual estuda o homem. É o impor de uma ideia aos demais indivíduos de uma sociedade, desprezar as demais culturas e considerar a cultura própria como a superior, a certa, a suprema. Um bom exemplo deste, que acontece bastante é no ramo social, o ato de desprezar e impor a sua forma de ser ao indivíduo, não respeitando a forma de ser já presente.

Este princípio está interligado à Intolerância, é o ato de ser intolerante, não aceitar o diferente de o seu pensar, do seu agir. Está ligado também ao preconceito que se interligam a homofobia e lesbofobia, ao racismo, a xenofobia, gordofobia, entre outros.

Com o presente artigo, quero expressar o quanto isso está presente em nossa sociedade e o quanto estamos longe de abolir o Etnocentrismo e a Intolerância da índole de cada individuo social, e apresentar uma possível solução a este, que a meu ver, é o mal do século.

Definição de cultura

De acordo com o sociólogo Raymond Willians, o termo denominado cultura tem antecedentes do latim colere, inicialmente o significado estava interligado ao cultivar de plantas, a dedicação ao cuidar de animais e terra, por este motivo o surgimento da palavra agricultura. (WILLIANS apud PORTAL DA CIÊNCIA, 1998, p. )

Tinha a definição também como o ato de cuidar de crianças e educá-las, o culto aos deuses, a dedicação ao cuidado com os ancestrais e também aos monumentos que, representava sua memória.

Atualmente, cultura não representa apenas um homem culto, pois surgiria o questionamento, será que o homem culto, aculturado é apenas o que lê muito, o que tem muitas graduações e pós-graduações? E os trabalhadores rurais, andarilhos que não têm uma formação, será mesmo que não são aculturados?

Também não podemos nos delimitar a dizer que, cultura são as musicas, as obras etc. Será mesmo que poderíamos nos delimitar a somente este, o significado de cultura? E como ficariam as crenças, as festas populares e as tradições, se somente os artistas e músicos fossem aculturados? Será que a forma de ser de um determinado grupo de pessoas seria ou não uma cultura?

Para que haja uma resposta a todos estes questionamentos abordados acima, é de suma importância que entendamos o conceito próprio. Ao pensarmos em cultura é interessante pensar, inicialmente, na relação aos dois conceitos principais: A CIVILIZAÇÃO E A HISTÓRIA.

Na Europa, depois do século XVIII, que o termo cultura foi interligado a civilização. Homens que pertenciam a esse período, ao se preocuparem em estudar o homem e a sociedade na qual viviam, pensavam que cultura e civilização de formas distintas e não concomitante, a filósofa Marilena Chauí, brasileira, aposta nisso.

Jean-Jacques Rousseau, dizia que cultura teria como significado a bondade natural, espontânea. Com este pensamento positivo em relação a cultura, tinha uma ideia negativa em relação a civilização, era mentalizado como um encarceramento da bondade natural, por motivo das regras e artificialidades exteriores ao individuo.

Voltaire e Kant diziam que cultura e civilização representavam, um processo de melhoramento/aperfeiçoamento da razão e da moralidade dos indivíduos da sociedade.

Já Hegel, entendia que a cultura é um conjunto de vários modos de viver em uma sociedade, um denominado “espírito mundial”, o modo de ser dos homens. A ideia é que, vão compreendendo e relacionando co os vários pontos que definem sua existência, que seriam o trabalho, a ciência, a política etc.

O etnocentrismo e nosso ordenamento jurídico

Em nossa atual Constituição Federal de 1988, tem um titulo denominado como "Dos Direitos e Garantias Fundamentais", neste titulo há o capítulo que trata sobre os "Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos", logo em seu primeiro artigo, o quinto, um dos mais amplos e expressamente ditos como Cláusula Pétrea, sendo esta, uma cláusula indestrutível, ou seja, não pode ser alterada de forma alguma, salvo, abolição de nossa atual constituição em virtude da criação de uma nova.o etnocentrismo e a intolerância. (BRASIL, 1988)

Com atualmente setenta e oito incisos, já no início do caput do artigo quinto, diz que, todos somos igualitários perante a lei sem distinção de qualquer natureza, isso sendo garantido a todos nós brasileiros e também aos estrangeiros que estão residindo no país, cita que é inviolável o direito à vida, à igualdade, à liberdade, à segurança e também à propriedade.

Traz também com muita riqueza em objetividade nossos direitos e deveres, garantindo-nos o direito de expressão, o direito à manifestação de nossos pensamentos, claro que, desde que não haja prejuízo a outrem.

Muitos não notam o quão protetora é nossa constituição, o quão humano e radical com os descumprimentos de seus artigos, claro que, desde que visto por "Justiça Competente".

Neste presente capítulo quero ressaltar diversos casos no qual esses direitos foram descumpridos e mostrar também que "em mãos erradas" nossa Carta Magna acaba perdendo grandiosamente seu valor, para haver a real efetivação destes direitos expressos, há de ter seu real cumprimento e apresentar também a ligação do tema Etnocentrismo, que significa não respeitar o próximo como mencionado anteriormente, com os artigos de nossa constituição, como isso acaba afrontando.

Atualmente foi criado um Projeto de Lei do Senador Antonio Carlos Valadares, pertencendo ao PSB-SE, nesta PL foi abordada a utilização de adereços culturais como o uso de turbante, de chapéus ou qual seja o objeto ou acessório que destaque a relação com uma tradição e cultura reconhecida pelos brasileiros.

Muito interessante isso quando vivemos em uma sociedade totalmente etnocêntrica, que tem dificuldades em respeitar a cultura do próximo, muito interessante, pois com essas iniciativas dos parlamentares estamos a rumo de consertar a deficiência presente em nossa sociedade, fazendo que, a um longo prazo tenhamos posto por fim o etnocentrismo e dando o surgimento de uma sociedade justa e respeitadora. Já houve tantos casos de intolerância e desrespeito com o princípio cultural, houve tantas mortes, como não citar o caso que aconteceu no Rio de Janeiro no ano de 2015, de uma menina de onze anos que seguia a religião do Candomblé, foi apedrejada por um grupo de evangélicos. Claro que este é apenas um minucioso caso, há milhares todos os dias em todo o Brasil e no mundo, é algo tão forte, tão presente, que em determinados momento há perca do controle.

Importante ressaltar também, no ramo da psiquiatria, as consequências de quem sofre com este mal social, resultam traumas... estes traumas, acabam desenvolvendo uma defesa que é o próprio etnocentrismo e a intolerância. A pessoa que sofre, acaba "atacando" ao próximo na tentativa de se defender, com a mesma forma que foi atacado.

No meu ponto de vista, depois de pesquisar tanto em relação ao tema, a única conclusão na qual consigo chegar é que a cultura e a religião foram feitas para unir as pessoas e não causar a discórdia. Na nossa carta magna é assegurado que, temos direito de celebrar nossos cultos religiosos e também temos a proteção constitucional a nossos “templos” onde é celebrado os cultos religiosos de qualquer natureza, até porque nosso pais é Laico, e isso implica que, somos livres para escolher qual religião queremos seguir, sem a imposição de ninguém.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com o presente artigo, busquei salientar ao máximo o quão importante são respeitar a cultura, os costumes, as crenças do próximo sem impor, é essencial que haja respeito para haver uma harmonia social. Também ressaltei o quão grave é o etnocentrismo presente, o que ele vem causando nas pessoas e o que vem causando no meio social.

No meu ponto de vista, o etnocentrismo e a intolerância além de um problema social é um problema ético, somente com muito incentivo dos "maiores" para reeducar os "menores". Os "maiores" seriam os nossos representantes políticos e os "menores" seriam nós, pessoas comuns, cidadãos. Também acredito na mudança pessoal de cada um, algumas pessoas que passaram por uma determinada situação de intolerância, podem acabar desenvolvendo a empatia, sentimento no qual um indivíduo se coloca no lugar do outro indivíduo, consequentemente não julgando ao próximo, sentindo a dor dele.

Ser aculturado, é uma forma de "ser" muito ampla, cabendo diversos pontos de vista e entendimentos. Uma pessoa aculturada não é somente aquela que lê muito, ou que tem muitas formações acadêmicas ou até mesmo que está envolvida no meio musical ou no teatro. Cultura é muito mais do que se limitar a dizer somente a isso. Ter cultura segundo alguns filósofos famosos como Jean-Jacques Rousseau, cultura é ter a bondade natural e espontânea, já Voltaire e Kant mantinham no seu ponto de vista que cultura e civilização era um processo de melhoramento da razão e da moralidade dos indivíduos de uma sociedade. E Hegel, entendia que a cultura é um conjunto de vários modos de viver em uma sociedade.

Se já nos tempos primórdios já existiam diversas formas de serem vistas, imagine nos dias atuais.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Constituição da República, de 05 de outubro de 1988; Planalto. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituição/constituicaocompilado.htm>. Acesso em: 19 ago.2017

Conceito.De, Disponível em: http://conceito.de/etnocentrismo. Acessado em: 10 de ago.2017.

Jornal do Brasil, Disponível em: http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/07/18/projeto-autoriza-uso-de-aderecos-culturais-em-fotos-de-documentos/. Acessado em: 19 de ago.2017.

Observatório da diversidade Cultural, Disponível em: http://observatoriodadiversidade.org.br/site/o-direito-de-acessoaculturaea-constituição-federal/, Acessado em: 19 de ago.2017.

O dia Rio. Disponível em: http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-06-16/intolerancia-religiosa-leva-meninaaser-apedrejada-na-cabeca.html. Acessado em: 19 de ago.2017.

Superela, Disponível em: http://superela.com/2015/03/19/201503198-tipos-de-preconceito-que-ja-deveriam-ter-sido-exterminados-ha-muito-tempo/. Acessado em: 10 de ago.2017.

Sociologia de plantão, Disponível em: http://sociologiadeplantao.blogspot.com.br/2009/08/conceito-de-cultura.html. Acessado em: 10 de ago.2017.

Wikipédia, Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Antropologia. Acessado em: 10 de ago.2017.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)